Hemograma (Hemograma Completo)

PARA QUE SERVE O HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO) ?

O hemograma (hemograma completo), consiste em  analisar as células que compõem o nosso tecido sanguíneo, ou seja, nossos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Ele irá analisar o formato, tamanho, cor e quantidade dessas células em nosso sangue. 

QUAL O PREÇO DO HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO)?

Os valores variam de um laboratório para o outro, mas custam em média a partir de R$ 9,00 reais.

COMO É FEITO O HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO)?

É feito através da amostra de sangue periférico. O paciente deve ficar sentado em uma cadeira, o profissional de saúde irá “amarrar” um elástico chamado de garrote, com o objetivo de interromper o fluxo sanguíneo, fazendo com que as veias aumentem, facilitando a punção delas. Achando o acesso perfeito, o profissional irá limpar a área com um algodão embebido com álcool 70%. É utilizada uma seringa com agulha específica para o exame. A agulha será inserida na veia para que logo o sangue seja captado, sendo captado o garrote é retirado e após a sua retirada é retirado à agulha, rapidamente é colocado um algodão em cima do sítio da punção para evitar sangramento e depois é colocada uma bandagem. A amostra sanguínea é transferida para um tubo específico que irá ser armazenado e logo em seguida será feita a análise para a obtenção dos resultados. 

É PRECISO FAZER JEJUM PARA REALIZAR O HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO)?

Hoje em dia não é mais necessário fazer o jejum para realizar o hemograma porque a alimentação não altera os resultados. Porém para alguns exames ainda é necessário e variam de 3 a 8 horas, nunca devendo passar de 14 horas. Além do jejum há outras recomendações necessárias para fazer o hemograma, que são:

  • Fazer uma dieta leve antes do exame, caso não tenha feito o recomendado é ficar em jejum por 3 horas, isso depende do laboratório. Vale ressaltar que essa recomendação pode mudar caso o médico solicite outro tipo de exame;
  •  Informar se faz uso de medicamentos contínuos;
  •  Não consumir bebidas alcoólicas nas 72 horas anteriores;
  •  Evitar exercícios físicos na véspera do exame;
  • Beber água moderadamente.

QUANDO O HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO) É SOLICITADO PELO MÉDICO?

Este exame é muito comum e é feito como parte da avaliação do estado da saúde geral e também pode ser solicitado caso haja suspeita de alguma infecção, inflamação ou outra patologia. Pode ser solicitado também periodicamente para monitorar esses problemas e seu tratamento. 

O HEMOGRAMA É A MESMA COISA QUE HEMOGRAMA COMPLETO?

Sim, os dois avaliam a mesma coisa. O hemograma completo é apenas uma outra maneira de nomear o hemograma.

QUAL O TEMPO DE ENTREGA DOS RESULTADOS DO HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO)?

Os resultados normalmente são entregues em até 1 dia útil, mas isso pode variar de acordo com o laboratório em que será realizado o exame.

COMO INTERPRETAR OS RESULTADOS DO HEMOGRAMA (HEMOGRAMA COMPLETO)?

Somente um profissional capacitado é capaz de interpretar e diagnosticar uma doença, porém é sempre ter um conhecimento prévio dos resultados, ter um conhecimento mínimo do que se está lendo no hemograma. Aqui iremos aprender um pouco:

As análises principais que compõem um hemograma são contagem total e diferencial de leucócitos, contagem de eritrócitos, hematócrito, dosagem de hemoglobina, índices eritrocitários, contagem de plaquetas e volume médio plaquetário.

O QUE SÃO GLÓBULOS VERMELHOS, HEMÁCIAS OU ERITRÓCITOS?

O eritrograma é a parte do hemograma em que são analisadas as características das células vermelhas do sangue, as hemácias, também conhecidas como eritrócitos.




HT ou HCT – Hematócrito
Valores de referência:Feminino (36.0 a 47.0) % Masculino (40.0 a 54.0) %


Representa a porcentagem do volume ocupado pelas hemácias no volume total de sangue.

Alto: Desidratação, policitemia, choque.
Baixa: Anemia, perda excessiva de sangue, doença renal e sepse.

Hb – HemoglobinaValores de referência:Crianças de 2 a 6 anos: 11,5 a 13,5 g/dL;Crianças de 6 a 12 anos: 11,5 a 15,5 g/dL;Homens: 14 a 18 g/dL;Mulheres: 12 a 16 g/dL;Grávidas: 11 g/dL.

É um dos componentes das hemácias e é responsável pelo transporte de oxigênio. 

Alta: Policitemia, insuficiência cardíaca, doenças pulmonares, etc.
Baixa: Gravidez, anemias, câncer, desnutrição, doença hepática, etc.

Além da quantidade dos glóbulos vermelhos, um hemograma também deve analisar as suas características morfológicas das células sanguíneas, pois também podem indicar doenças. É feita da seguinte maneira:

VCM ou Volume Corpuscular Médio: O valor normal do VCM é entre 80 e 100 fl, podendo variar de acordo com o laboratório, ele mede o tamanho das hemácias, elas podem aumentar em alguns tipos de anemia, como deficiência de ácido fólico ou vitamina B12, por exemplo. Quando o tamanho está diminuído, pode ser por deficiência de ferro ou origem genética como a Talassemia.

HCM ou Hemoglobina Corpuscular Média: O valor de referência é de 27.0 a 33.0 pg e indica a quantidade média de hemoglobina (hb) presente nas hemácias e irá indicando a coloração delas. Somente analisando o HCM não é possível diagnosticar algum problema, é preciso olhar o exame como um todo, mas podemos encontrar valores alterados em anemias, doença hepática ou alcoolismo, por exemplo.

CHCM (concentração da hemoglobina corpuscular média): Como o nome já diz, ele irá analisar a concentração da hemoglobina na hemácia, normalmente quando está alto ou baixo, ambos podem indicar uma anemia, quando o valor está aumentado. Valor de referência é de 32.0 a 37.0 g/dL.

RDW (Amplitude de distribuição dos glóbulos vermelhos): ele indica a variação do tamanho das hemácias, não irá indicar o tamanho como o CVM E sim a variação desse tamanho. Seu valor de referência é de 11.0 a 16.5 %. Caso o tamanho venha alterado pode ser indício de alguma anemia ou falta de vitaminas, por exemplo.

O QUE SÃO GLÓBULOS BRANCOS (LEUCÓCITOS) ? 

A parte do exame que avalia os leucócitos é o leucograma, ele irá analisar a defesa que o nosso corpo tem durante uma infecção ou inflamação. Os glóbulos brancos são as células responsáveis pela defesa do nosso organismo.


Neutrófilos segmentadosValor de referência 1600 a 8000/µL
Neutrófilos bastonetesValor de referência 0 a 800/ µL

Alto: Infecção bacteriana, inflamação, estresse, câncer, eclâmpsia na gravidez, etc.
Baixo: Leucemia, necrose hepática, hemorragia, infecções, etc.

EosinófilosValor de referência: 0 a 4 (0 a 400/µL).






Alto: Alergia e verminose, mais comum.
Baixo: Processo inflamatório ou infeccioso agudo, síndrome de Cushing, uso de medicamentos, etc.

BasófilosValor de referência: 0 a 2 (0 a 200/µL).

Alto: Retirada do baço, leucemia, insuficiência renal crônica, etc.
Baixo: Infecções, choque anafilático, hipertireoidismo, etc.

LinfócitosValor de referência: 15 a 30 (750 a 3000/µL).

Alto: Infecções virais, mononucleose infecciosa, caxumba, etc.
Baixo: Infecções e desnutrição.

MonócitosValor de referência: 4 a 12 (200 a 1200/µL).

Alto: Infecções, doenças autoimunes ou inflamatórias, leucemia, etc.
Baixo: Terapia com imunossupressores, leucemia aguda, uso de corticóides, distúrbio na medula óssea, etc.

O QUE SÃO PLAQUETAS?

As plaquetas são grandes células responsáveis pela coagulação sanguínea, elas têm como função parar o sangramento quando algum vaso sanguíneo é lesado. Valor de referência: 150.000 a 450.000 por microlitro.

O QUE PODE SER PLAQUETAS ALTAS?
O aumento no número de plaquetas pode acontecer devido a causas patológicas ou fisiológicas, como exercício intenso, cirurgias e sangramentos pós-cirúrgicos e doenças inflamatórias ou infecciosas, carência de ferro, entre outras.

O QUE PODE SER PLAQUETAS BAIXAS?
Pode acontecer devido ao uso de alguns medicamentos, anemia, doenças autoimunes, deficiências nutricionais e gravidez, púrpura trombocitopênica imune, infecções vigentes

 (virais e bacterianas), entre outras.

Observações: Os diagnósticos acima são apenas suposições, somente o médico pode confirmar o diagnóstico do paciente a partir do seu quadro clínico e exames.