Anemia por Deficiência de Ácido Fólico

ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE ÁCIDO FÓLICO (FOLATO)

A anemia é uma doença crônica com mais frequência no mundo e atinge mais crianças abaixo de dois anos de idade e mulheres, sendo um problema que ocorre quando existe um número reduzido de glóbulos vermelhos ou uma baixa concentração de hemoglobina. É a hemoglobina que transporta o oxigênio que vem do pulmão para todas as células dos tecidos do corpo, a sua baixa concentração prejudica a  oxigenação e causa a anemia. Entre as diversas anemias existentes, temos a anemia por deficiência de ácido fólico. O ácido fólico é uma vitamina do complexo B, juntamente com a vitamina B12, o folato é necessário para a formação de glóbulos vermelhos normais e para a síntese do DNA (ácido desoxirribonucleico), ou seja, o material genético das células. O ácido fólico também é necessário para o desenvolvimento normal do sistema nervoso do feto. A anemia por deficiência de folato é uma das causas de anemia megaloblástica, ela é causada por vários defeitos na síntese do DNA que conduzem a um conjunto comum de anormalidades hematológicas da medula óssea e do sangue periférico. O termo “megaloblástico” se dá devido a  anormalidade morfológica dos núcleos celulares que é prontamente reconhecível, mas de difícil descrição. Tanto a vitamina B12 quanto o ácido fólico são importantes para a maturação final dos eritrócitos (hemácias). Ambas são essenciais à síntese de DNA, caso ocorra a deficiência delas,  resultará na diminuição do DNA e, consequentemente, em falha da maturação e divisão nucleares. As células eritroblásticas da medula óssea, além de não conseguirem proliferar rapidamente, produzem eritrócitos maiores que o normal, denominados macrócitos.

O ácido fólico é absorvido no intestino e seu maior reservatório é o fígado, porém é hidrossolúvel, sendo assim, seu estoque dura pouco e os sinais clínicos da sua depleção ocorrem cerca de 4-5 meses após o começo das perdas. Sua principal fonte natural são os vegetais verdes frescos. 

A deficiência de folato pode ser causada por diversos fatores, como falta de folato na alimentação, sendo a forma mais comum ou algum problema que impeça a sua absorção no intestino, como a síndrome do cólon irritável e ressecção intestinal. Essas causas são menos comuns. Causas mais raras incluem gestação e uso de medicamentos, por exemplo.

O ácido fólico é necessário durante a gravidez para o desenvolvimento normal do cérebro e da medula espinhal. É importante que mulheres que pretendem engravidar tomem suplementos de folato antes e durante a gravidez para não apresentarem carência dessa substância. A deficiência de folato no início da gravidez pode causar problemas no desenvolvimento do cérebro e da medula espinhal do bebê.

QUAIS OS SINTOMAS DESSA ANEMIA?

Os sintomas são similares a outros tipos de anemias, sintomas como fraqueza, cefaléia, irritabilidade e palpitações decorrem da anemia megaloblástica instalada independentemente de qual carência. Por ter uma doença insidiosa, podem ocorrer petéquias e púrpuras devido a uma trombocitopenia. Em alguns casos pode ocorrer problemas digestivos, como diarreia e perda ponderal, devido à má  absorção, pode ocorrer também glossite (inflamação da língua). 

COMO A ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE FOLATO É DIAGNOSTICADA?

O exame inicial para qualquer anemia é o hemograma, podendo mostrar muitas anormalidades, porém não será diagnosticada qual a anemia que está ocorrendo de fato, para isso é necessário ser feito outros exames para a confirmação. Mas o hemograma mostrará sinais que estão relacionado com a deficiência de ácido fólico, que são:

  • Hemoglobina baixa;
  • Alto volume globular médio (VGM);
  • Aumento do VCM;
  • Aumento do HCM;
  • CHCM normal;
  • RDW aumentado (anisocitose).

Além do hemograma também pode ser feito o exame de um esfregaço sanguíneo, este exame tem como objetivo fazer a contagem e a identificação de anormalidades nas células do sangue e consiste na extensão de uma fina camada de sangue sobre uma lâmina de microscopia que, após corada, é analisada em microscópio. Em casos anemia pode carência de folato, as hemácias estão grandes, maiores que seu tamanho normal, por isso é uma anemia considerada megaloblástica, além disso apresenta hemoglobina baixa, anisopoiquilocitose (hemácias de diferentes formas) e na série branca, o número de leucócitos está diminuído e os neutrófilos hipersegmentados. As plaquetas podem estar em número normal, ou discretamente diminuído. 

Para a confirmação do diagnóstico, podem ser solicitados outros exames confirmatórios, pois essa anemia possui os mesmo padrões de alterações da hemoglobina e de tamanho das hemácias provocados pela deficiência de vitamina B12, que também causa anemia. Se há suspeita de que a causa de uma anemia seja por deficiência de vitamina B12 ou de ácido fólico, em geral são necessários outros exames para o diagnóstico, como:

  • Ácido fólico: Esse exame irá medir os níveis de concentração de ácido fólico no sangue, quando a deficiência de ácido fólico, essa concentração pode ser baixa.
  • Vitamina B12 – Este exame irá medir os níveis de vitamina B12 no sangue, os valores normais devem ser de 200 a 900 pg/ml dessa substância no organismo. Valores menores ou maiores indicam desordens fisiológicas, como a deficiência de vitamina B12.
  • Ácido metilmalônico e homocisteína:  O exame de homocisteína pode ser feito através de uma amostra de urina ou de sangue, ele irá avaliar os níveis de homocisteína e seus valores normais são de 5 e 15 µmol/L. A quantidade no sangue pode se elevar na deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico. A homocisteína é um aminoácido que contém enxofre e geralmente se apresenta no organismo em pequenas quantidades, a vitamina B12 e o folato são necessários para o metabolismo da homocisteína. Já o exame de ácido metilmalônico mede a quantidade do ácido metilmalônico no sangue, seus valores devem ser inferiores ou igual a 0,50 microMol/L. A quantidade no sangue aumenta quando há deficiência de vitamina B12. Esse ácido é produzido em quantidades muito pequenas durante o metabolismo dos aminoácidos. Um aumento da produção de ácido metilmalônico é um indicador muito sensível de deficiência de vitamina B12. Este exame pode ser feito através de uma amostra de sangue ou por uma amostra de urina aleatória ou de urina de 24 horas. Embora pouco empregadas no nosso meio, são o melhor parâmetro para diferenciar as deficiências. A homocisteína estará elevada em ambos os casos, já o ácido metilmalônico estará aumentado apenas na carência de vitamina B12; 
  • Contagem de reticulócitos: Esse exame é normalmente solicitado junto com o hemograma e irá avaliar a resposta da medula óssea nos casos de anemia, que neste caso apresenta-se diminuída.

QUAL O TRATAMENTO PARA ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE ÁCIDO FÓLICO?

Para o tratamento pode ser receitado comprimidos de ácido fólico que são geralmente tomados durante quatro meses. Além disso, é importante incorporar essa vitamina na alimentação diária. São fontes boas fontes de folato os vegetais, como brócolis, couve-de-bruxelas, espargos, ervilhas, grão-de-bico e arroz integral, todos contêm elevados níveis de folato. Não se deve fazer o tratamento por conta própria, é necessário consultar um médico.